JovensExiste a crença de que técnicas como o microenxerto, os fármacos para tratar a queda de cabelo e outras soluções para este problema só são recomendadas a partir da idade adulta. Mas este conceito está errado porque a calvície não é “património exclusivo” dos que já passaram os 40. De facto, quanto mais cedo se começar a tomar medidas para prevenir a queda de cabelo – principalmente nas pessoas que têm um cabelo frágil – e quanto mais cedo se iniciar os tratamentos assim que começam os primeiros sinais de queda, mais satisfatórios serão os resultados obtidos.

Não restam dúvidas que a melhor medida preventiva é manter hábitos o mais saudáveis possíveis, vigiando especialmente fatores como a dieta, uma vez que os défices de determinados nutrientes se encontram na origem de muitos problemas de alopecia. Evitar substâncias tóxicas como o tabaco ou o álcool e controlar o stress são outras estratégias que resultam numa ótima saúde capilar, porque tudo o que traz benefícios para o organismo é também bom para o cabelo. Também os cuidados adequados (utilização de cosméticos específicos, evitar todas as técnicas, estilos e situações que agridem a estrutura capilar…) garantem uma melhor condição do cabelo.

Uma vez que a alopécia acontece, muitas são as pessoas que se questionam em que momento se podem submeter a técnicas como o transplante capilar. Tal como explicam os especialistas da Svenson, não existe uma idade mínima para que uma pessoa se possa submeter a este tipo de intervenção, que é cada vez mais procurada por um setor da população com uma idade menor, uma vez que a alopecia nos jovens é mais frequente do que pode parecer: 90% dos jovens com mais de 21 anos sofrem, em maior ou menor escala, de alopecia.


Tanto nas situações de alopeciaem jovens como em pacientes de mais idade que optam por esta técnica, é fundamental realizar um bom diagnóstico antes da intervenção, porque em alguns casos a queda de cabelo pode ser reversível e, neste tipo de situação, existem outros tipos de tratamentos médicos que são muito eficazes e que evitam que o paciente tenha de realizar uma intervenção desta natureza.  

O primeiro sintoma de alopecia nos jovens é o aparecimento de entradas cada vez mais pronunciadas. Podem também começar a aparecer zonas com falta de cabelo em algumas parte, como no topo da cabeça. Os especialistas insistem na importância do seguimento por profissionais para evitar que o problema se agrave e também na inclusão de produtos antiqueda nos cuidados diários. Nos dias de hoje, a alopecia tem solução, então por quê conformar-se em ser calvo?

Foto: danielfoster

Marcado com →  
Compartilhado →