AmpolhasQuando existem provas de alopecia androgenética (ou
seja, quando um ou vários membros da família perderam o cabelo), o melhor é pôr
em marcha, quanto antes, estratégias de
prevenção para evitar a queda do cabelo
. Se bem que a predisposição
genética esteja no topo da lista das causas da queda do cabelo, existem
outras circunstâncias que podem afetar o crescimento normal e desenvolvimento capilar e acerca das quais se podem adotar algumas
medidas de forma eficaz.

 Uma estratégia que se pode iniciar
para prevenir a queda de cabelo é
ter um cuidado especial com o mesmo em determinadas épocas como, por exemplo, o
verão, recorrendo à utilização de protetores solares, champôs de utilização
frequente e o emprego de máscaras ou amaciadores para minimizar ao máximo o
efeito dos fatores ambientais estivais que podem transformar-se numa das causas
da queda do cabelo. Para além disso, tal como recomendam os peritos da Academia Española de
Dermatología (AEDV)
, é necessário evitar abusar de secadores e
alisadores, já que podem aumentar os danos no cabelo, favorecendo,
por sua vez, a queda.


Não obstante, para prevenir a queda de cabelo é
necessário desmistificar alguns mitos muito enraizados que, com o passar do
tempo, podem prejudicar a nossa saúde capilar. Assim, por exemplo, nos momentos
em que nos apercebemos que nos está a cair o cabelo mais do que é normal, é um
erro pensar que se o lavarmos com menos frequência deixará de cair; muito pelo
contrário: uma boa higiene é imprescindível em qualquer plano
de prevenção para evitar a queda do cabelo
.

 Também é duvidosa a crença de que utilizar
habitualmente champôs e outros tratamentos específicos antiqueda quando ainda
não tenham aparecido indícios de alopecia genética seja uma garantia para deter a queda do cabelo no
futuro.  Estes produtos fortalecem o cabelo e contribuem para melhorar a
saúde capilar no geral, mas a sua utilização não é recomendada como estratégia
preventiva a longo prazo. Para prevenir a queda do cabelo, é
melhor
utilizar os
produtos que mais se adequem à tipologia de cada cabelo
 e,
sobretudo, certificar-se de que não se tem nenhuma deficiência vitamínica ou de outros nutrientes que possam afetar o
funcionamento correto do bolbo capilar, que é uma das causas da queda do
cabelo. 

 Perante qualquer dúvida sobre o
crescimento capilar ou sinal de alopecia genética, os peritos recomendam sempre
colocar-se nas mãos de profissionais, como os da Svenson, e, sobretudo, evitar
acreditar em “produtos milagrosos”, que não só não são eficazes para deter a
queda do cabelo, como podem agravar o problema com o passar do tempo.

Deixar de fumar, evitar o sedentarismo, ter uma alimentação
equilibrada, ter hábitos o mais saudáveis possível, manter o stress afastado,
dormir o suficiente… enfim, tudo o que se resume a um maior bem-estar para o
organismo tem um efeito direto no estado do couro cabeludo e transforma-se na
melhor medida de prevenção para evitar a queda do cabelo.
 

Foto: yosoylamarty

Marcado com →  
Compartilhado →