donald trumpNos Estados Unidos, são muitos os assuntos referentes aos seus presidentes que são considerados «de Estado» e que ficam guardados como «classificados» durante anos. Por sorte, não foi preciso esperar muito para que o segredo de Trump, o atual presidente da nação, se tornasse público: todos os dias, dedica tempo e esforço a cobrir a calvície.

Embora, para dizer a verdade, a revelação também não tenha sido uma grande surpresa, já que os estilos capilares do presidente foram sempre, no mínimo, suspeitos. A certeza de que Trump está, de facto, careca deu origem – como não podia deixar de ser, tratando-se de tal protagonista – a múltiplos comentários e a um intenso debate em que, obviamente, o governante não hesitou em tomar partido.

O cabelo de Trump enquanto conteúdo mediático

A forma como se penteia e o look capilar do 45.º presidente dos EUA, não deixam ninguém indiferente e são habitualmente objeto de comentários e tema de tertúlias

Não é, contudo, a primeira vez que o penteado de Donald Trump ocupa muitos minutos nos meios de comunicação social ou suscita debates populares. Já em setembro de 2016, em plena campanha eleitoral, o então candidato não hesitou em abordar, juntamente com os pontos principais do seu programa eleitoral, a questão do estilo peculiar do seu cabelo.

Nessa ocasião, foi o seu «topete» que esteve no centro da entrevista que lhe fez o popular apresentador Jimmy Fallon, que se encheu de coragem e em tom de brincadeira lhe perguntou: «Agora que ainda não é presidente, posso despenteá-lo?», ao que Trump, perfeito conhecedor dos efeitos positivos que um entertainment bem gerido poderia ter nas urnas, acedeu sem problema. Após «arruinar» o elaborado penteado, ficou claro perante milhões de espectadores que o cabelo de Trump era, efetivamente, todo «seu».

Da mesma forma, poucas horas depois de ganhar as eleições em que defrontou Hillary Clinton, começaram a proliferar vídeos e tutoriais que ensinavam, passo a passo, como fazer em casa o penteado do 45.º presidente dos Estados Unidos de América.

O vídeo que denunciou o segredo de Trump

O penteado do presidente está agora novamente na ribalta, desta vez devido a um vídeo gravado enquanto Trump subia a bordo do Air Force One (o avião presidencial), coincidindo com o momento em que uma forte rajada de vento dava cabo da estrutura do seu penteado, revelando que, por baixo das madeixas perfeitamente colocadas que exibe sempre, se esconde uma careca importante, que vai do cocuruto até à nuca. O vídeo tornou-se viral numa questão de minutos, já ultrapassou os três milhões de visualizações e deu origem a inúmeros «memes», comentários e tertúlias em torno do tema, suscitando, além disso, outras questões colaterais como, por exemplo, a de saber se Donald Trump usa peruca ou não.

O vídeo que capta o momento em que uma rajada de vento despenteia Trump mesmo antes de entrar no Air Force One, pondo em evidência a sua careca, demorou poucos minutos a tornar-se viral.

As análises, quase «à lupa», a que foi submetido o cabelo do presidente demonstraram, entre outras coisas, que as fotos de Donald Trump em novo evidenciam uma especial propensão para ir «carregando» a parte frontal, crescente à medida que os anos iam passando, o que resultou no peculiar e característico «topete» que exibe atualmente. A «revelação» do que acontece na parte posterior da sua cabeça pode dar sentido à teoria de que o penteado de Trump tem a intenção de dirigir toda a atenção para a parte frontal e dissimular assim a falta de cabelo no cocuruto.

Trump usa peruca? Questão (quase) de estado

A este debate capilar foram-se juntando protagonistas, como o médico norte-americano Harold N. Bornstein, que trata o presidente há mais de três décadas e que descartou a ideia de que este usa peruca. Reconheceu que Trump toma medicamentos para combater a perda de cabelo e revelou também que tem rosácea, um problema de pele que exige tratamento.

Neste contexto, no controverso livro «Fire and Fury» («Fogo e Fúria»), escrito por Michael Wolff, que provocou um burburinho nos EUA, pois aborda alguns dos aspetos mais espinhosos do presidente, há também espaço para os seus problemas capilares. Concretamente, o autor conta como Ivanka, a filha mais próxima de Trump, comentou em mais do que uma ocasião que o elaborado penteado do seu pai teve origem numa operação de cirurgia capilar a que este se submeteu há várias décadas, quando esta técnica ainda não estava tão desenvolvida como agora, para travar o seu problema de alopécia, com a qual não obteve os resultados desejados.

Não se sabem mais dados sobre esta intervenção, nem está claro se se tratou de um enxerto capilar ou de outro tipo de cirurgia na zona.

«Mix» de madeixas e outras estratégias para cobrir a calvície

Alguns hair stylists sugerem que Trump intercala madeixas próprias com outras, presas com um produto de fixação, para dar mais corpo e volume ao seu cabelo.

A obra de Michael Wolff analisa também com todo o pormenor a peculiar configuração do couro cabeludo do presidente: «A careca com que ficou como resultado da tal operação está rodeada de um círculo de cabelos na parte frontal e dos lados. O cabelo cresce de uma forma em que todos os cabelos convergem no centro da cabeça. Ele penteia-os para trás e fixa o penteado usando laca».

À margem do trabalho de investigação de Wolff, Trump já tinha reconhecido que costuma recorrer às generosidades da laca como aliada do seu look.

Outras opiniões sobre o tema: segundo alguns hair stylists entrevistados pela agência francesa AFP sobre o «baldgate», tudo aponta para que o presidente recorra a um sistema capilar idealizado por ele, que consiste em inserir entre o seu cabelo natural madeixas mais frisadas e um pouco rebeldes (que dão corpo ao conjunto), presas com um produto de fixação.

Seja como for, o cabelo exibido por Mr. President é o resultado de uma amálgama de estilos capilares em que não falta nada: cabelos entrelaçados, ripado, brushing, técnicas de fixação, e até o que poderia ser uma interpretação «by Donald» das madeixas californianas, já que no seu cabelo se intercalam as tonalidades brancas, amarelas e alaranjadas…

Tapar a careca, um esforço diário

E como reagiu o protagonista a tudo isto? Ficou encantado por voltar a ser o centro das atenções. Na verdade, não hesitou em introduzir a questão num ambiente tão pouco relacionado com a estética capilar como a 45.ª Conferência anual da Ação Política Conservadora para comentar, ao ver no ecrã um primeiro plano da sua cabeça: «Que bela imagem! Gostaria de ver esse homem a falar». E perante a reação desconcertada dos assistentes, continuou com as suas confidências em matéria de estilo: «Eu tento de todas as formas tapar a careca, amigos. Trabalho muito para isso todos os dias, e vou continuar a esforçar-me. Mas não está muito mal, pois não?».

Fotografia por AP Photo/Andrew Harnik

Marcado com →  
Compartilhado →