Para
muitas pessoas, o aparecimento do primeiro cabelo branco constitui um
autêntico choque, já que, erroneamente, o interpretam como um
sintoma inequívoco de velhice. E este é o primeiro dos
 erros
ou falsos
 mitos
sobre o cabelo,
 em
geral, e sobre os cabelos brancos, em particular, que é necessário
esclarecer.



Basicamente,
um cabelo branco é um cabelo que perdeu a sua cor natural devido à
diminuição progressiva da produção de melanina, a substância
responsável pelo tom capilar. Esta «desaceleração» costuma estar
associada ao processo de envelhecimento, mas isso nem sempre é
verdade já que, ou por genética, ou devido a outras causas, existem
muitas pessoas na casa dos vinte anos que, literalmente,
 «penteiam
cabelos brancos»
.




Um
dos
 mitos
sobre o cabelo
 mais
difundido é a crença de que
 os
cabelos brancos não caem
,
refletida no ditado popular que diz que quem «
tem
cabelo branco não fica careca
».
No que diz respeito às fases de crescimento-queda do cabelo, os
cabelos brancos seguem o mesmo ritmo que os cabelos em que a melanina
continua a funcionar corretamente. O que se passa é que, em alguns
casos, as pessoas reparam que o cabelo branco é mais forte e
consistente, o que proporciona a sensação de uma cabeleira mais
farta. Noutras, contudo, cresce mais debilitado devido ao processo de
envelhecimento capilar.



Outro
clássico entre os
 mitos
sobre o cabelo
:
«não se devem
arrancar
os cabelos brancos
 porque
senão nascem dois». Não se trata de mais do que de um efeito
«ótico»: os cabelos brancos vão surgindo pouco a pouco, mas
gradualmente, em grupos: se um for arrancado, demorará a nascer o
mesmo que o cabelo ainda com pigmentação, mas a sensação costuma
ser que na zona do «cabelo ausente» vão aparecendo mais. Ou seja,
a maior ou menor quantidade de cabelos brancos que se penteiem é
independente dos que vão caindo, quer naturalmente quer de forma
«forçada».



No
que diz respeito aos cuidados de
 beleza
capilar
 nos
cabelos brancos, a maioria das pessoas opta por ocultá-los,
recorrendo para isso a tintas.
 Os
tipos de coloração mais indicados para alcançar este objetivo são
os permanentes que, mediante um processo de oxidação, cobrem
totalmente os cabelos brancos, sendo que a coloração semipermanente
só é recomendável para ocultar os cabelos brancos sob tons
naturais nos casos em que haja poucos e estejam muito
 disseminados.


Exibir
uma cabeleira com cabelos brancos, grisalha ou até branca, não está
em desacordo absoluto com a
 beleza
capilar
 e,
de facto, este estilo capilar costuma emprestar um toque de
distinção. Para o exibir de modo adequado é
 importante
seguir os
conselhos
da Svenson
 sobre
saúde capilar (válidos para todo o tipo de cabelos, com ou sem
coloração) e incorporar nos cuidados diários alguns dos muitos
produtos específicos para este tipo de cabelo que se podem encontrar
no mercado. E se optar pela tinta como estratégia de
 beleza
capilar
 para
um efeito «camuflagem», é importante evitar na medida do possível
o sempre inestético «efeito raiz», retocando os cabelos brancos a
cada 3-4 semanas.



Um
conselho final: se as primeiras cãs marcaram presença no seu
cabelo, não desespere nem caia na tentação de
 arrancar
os cabelos brancos
.
Opte por tirar deles todo o partido, dedicando-lhes todos os cuidados
de
 beleza
capilar

e desfrute do seu novo
look.

Marcado com →  
Compartilhado →