A maior parte das mulheres estão preparadas para as mudanças que os seus organismos irão experimentar a partir de certa idade; sabem, por exemplo, o que são os estrogénios e porque é que ocorrem sintomas como os afrontamentos e a insónia. Mas, o que é que acontece ao cabelo na menopausa? Muitas mulheres desconhecem que esse carrossel hormonal que se inicia antes do climatério também se repercute – e muito – no seu cabelo, sendo, por vezes, um fator desencadeador da alopecia feminina.

É a partir dos 40 anos que uma boa parte da população feminina começa a notar que o cabelo está mais fino e desvitalizado e tem menos volume do que o habitual. São os primeiros efeitos do vaivém hormonal característico do climatério: enquanto os níveis das hormonas tipicamente femininas (estrogénios) caem a pique, os dos androgénios (hormonas masculinas) permanecem estáveis. Esta relação entre mudanças hormonais e cabelo faz com que os folículos pilosos do couro cabeludo se miniaturizem e que o ciclo do cabelo seja mais curto, o que muitas vezes faz com que se perca cabelo devido à menopausa.

Perante o “terramoto” hormonal pouco se pode fazer mas, em troca, podem pôr-se em marcha estratégias efetivas para melhorar o aspeto do cabelo nesta fase. Assim, por exemplo, não esqueçer que além das causas orgânicas que incidem sobre o estado do cabelo, nesta idade muitos das madeixas já acumulam anos de técnicas agressivas (as placas alisadoras e os ferros de frisar são especialmente prejudiciais neste sentido) e de cuidados inadequados e, portanto, são poucos os cabelos “quarentões” que apresentam uma cutícula em bom estado, o que favorece que estejam mais secos e quebradiços e caiam com mais facilidade. Felizmente, este dano é reversível, mas mas devem-se evitar todas as técnicas e estilos que possam agredir ainda mais o cabelo, especialmente as que incluam um excesso de calor (placas, secadores).

Também é necessário incluir nos cuidados habituais produtos como o condicionador e a máscara capilar, especificamente formulados para cabelos finos e desvitalizados. De igual forma, e devido ao aparecimento de brancas, muitas mulheres não só começam a pintar o cabelo como também aproveitam a conjuntura para mudar a cor (geralmente para loiro). Por este motivo, é muito importante evitar os produtos e técnicas que danifiquem o cabelo, tais como as descolorações, e usar sempre tintas que contenham uma quantidade baixa de amoníaco (apenas a suficiente para cobrir as brancas).

Vigiar a alimentação (o défice de ferro está por trás da maior parte dos casos de anemia na menopausa que, por sua vez, é uma das causas da queda do cabelo): evitar o stress e recorrer a tratamentos profissionais como o Mx Active, que se aplica nos centros Svenson, são boas soluções para manter sob controlo os efeitos da menopausa no cabelo.

Compartilhado →