A queda de cabelo é um campo de investigação constante e as origens deste problema estão no centro da maioria dos estudos sobre a alopecia. Os resultados obtidos pelas últimas investigações foram dados a conhecer no último congresso da International Society of Hair Restoration Surgery (ISHRS) e permitiram a revelação de importantes avanços que tiveram lugar no que se refere à previsão do risco do desenvolvimento da alopecia no futuro, o que trará, sem sombra de dúvidas, tratamentos cada vez mais personalizados. Tendo como base os resultados dessas investigações, podem esperar-se avanços significativos contra a alopecia em 2014.

Um desses estudos sobre a alopecia foi realizado por especialistas da Svenson e centrou-se na queda de cabelo em mulheres, particularmente na suscetibilidade à alopecia androgenética feminina (AAF) ou eflúvio telógeno crónico (EFTC) em mulheres com eflúvio telógeno agudo (EFTA). O eflúvio é um tipo de alopecia que pode apresentar-se de forma aguda e ser desencadeado por causas diferentes ou crónicas, onde o fator genético desempenha um papel fundamental. Os especialistas já tinham estabelecido a associação da AAF com o eflúvio agudo telógeno. A investigação da Svenson deu mais um passo ao  identificar os fatores preventivos associados a ambas as situações e na avaliação da  correlação dos diferentes fatores clínicos e terapêuticos na evolução de um eflúvio agudo para crónico. 


Os resultados desta pesquisa sobre a alopecia demonstraram que em mais de 70% das pacientes da EFTA incluídas no estudo, esta alopecia regredia após os primeiros seis meses de tratamento. A investigação da Svenson também concluiu que as percentagens de relação entre a alopecia androgenética feminina e de eflúvio telógeno agudo variavam de acordo com a causa responsável pelo aparecimento de EFTA, sendo as disfunções tiroideia (58%), o défice de ferro (52%) e as dietas rigorosas (50%) as principais causas. 

Na prática, a aplicação dos resultados alcançados por estas investigações irá permitir o recurso a um tratamento terapêutico específico e personalizado pelas pacientes que apresentam um eflúvio telógeno agudo, em função da causa que desencadear o problema capilar, com o objetivo de prevenir e tratar de forma mais eficaz a alopecia androgenética associada.

Estas descobertas vão ao encontro das últimas novidades incorporadas pela Svenson na abordagem e prevenção da alopecia, onde os fatores preventivos desempenham um papel fundamental. É esse o caso do teste genético da alopecia, uma técnica que permite prever os riscos de homens e mulheres que possam ter herdado o padrão genético da alopecia androgenética; e o teste de resposta ao minoxidil (Test Mx), um teste de diagnóstico que permite fazer o prognóstico do grau de resposta de cada paciente ao tratamento com minoxidil, o que na prática permite a aplicação do tratamento somente nos casos onde a eficácia seja mesmo comprovada.

Marcado com →  
Compartilhado →