A famosa frase de “o barato sai caro” é aplicável também à intervenção cirúrgica do microenxerto. Há cada vez mais pessoas a recorrer às técnicas do implante capilar, não só para preencher a cabeça com cabelo como também para recuperar o cabelo perdido noutras zonas, como a barba ou as sobrancelhas. Esta maior procura é paralela a um notável aumento dos centros que oferecem estes tratamentos e, portanto, a oferta é muito ampla. Paralelamente a esta circunstância e num contexto de crise económica, são cada vez mais as propostas low cost, opção nada recomendável visto estar associada ao aparecimento de importantes problemas posteriores ao microenxerto.

Cicatrizes desnecessárias, implantes mal feitos, resultados insatisfatórios ou pouco naturais são as principais consequências de não tratar do assunto num centro que reúna todas as garantias. É preciso considerar que em diversas ocasiões estas “ofertas”, aparentemente vantajosas para os pacientes, são o resultado de “restrições” ou “cortes” noutros itens implicados na intervenção, tal como o instrumental, a experiência dos profissionais que a realizam, etc.

Tal como os profissionais da Svenson recordam, para se poder realizar um microenxerto é imprescindível efetuar um exame capilar prévio e analisar o historial e as circunstâncias de cada caso em concreto. Só assim, e após um adequado estudo profissional, se pode, em primeiro lugar determinar a viabilidade da intervenção, e em segundo lugar realizar o desenho da zona do couro cabeludo ou de outra área do corpo que se queira preencher com cabelo, procurando sempre um resultado natural e estético.

Os níveis de satisfação dos pacientes da Svenson refletem-se nos números relativos a esta intervenção. Assim, 17 % das consultas realizadas nos centros desta empresa em 2015 foram de microenxerto (o que significa um aumento de 3 % relativamente a 2014). De igual forma, no ano passado, as intervenções cirúrgicas aumentaram para 870, e no caso concreto da técnica FUE (na qual se obtêm com um bisturi circular os folículos a transplantar, sem necessidade de se realizar sutura) houve um aumento de 29 %.

No primeiro trimestre de 2016, realizaram-se um total de 338 microenxertos (44 % deles através da técnica FUE), o que representa 51 % mais do que as intervenções realizadas no mesmo período do ano passado.

No que diz respeito às opiniões sobre a Svenson por parte dos pacientes que se submeteram a esta intervenção, de acordo com os resultados de um estudo realizado a clientes desta empresa, 95 % dão muito boa classificação ao atendimento e seguimento por parte da equipa de cirurgiões; 89 % dos clientes de microenxerto consideram que a intervenção foi muito bem realizada; e 93 % garante que está a verificar a recuperação do cabelo. Estes dados mostram que a garantia oferecida por um centro qualificado e os resultados satisfatórios vão sempre juntos.

Marcado com →  
Compartilhado →