Dos esforços por camuflar (com coloração) os cabelos brancos ao estilo “granny hair”. A atitude relativamente às brancas deu uma volta de 180º e tanto as passarelas (criadores como Jean Paul Gaultier são grandes fãs do “look prata”) como o aspeto exibido por muitas celebrities deixaram-nos claro que ter o cabelo cinzento está a tornar-se uma moda que conta cada vez com mais seguidoras e que deu lugar inclusivamente a um fenómeno nas redes, o das “granny hair” ou “cabelo de avozinha”, cujas “followers” se caracterizam por publicar fotografias com as suas madeixas prateadas no Instagram no âmbito deste hastag.

Pode dizer-se que esta tendência, enquadrada na corrente do “envelhecimento inteligente” (smart aging) vem dar ao cabelo com brancas o lugar que lhe corresponde, uma peculiaridade da qual muito poucos se livram, dado que a perda da cor é um processo inerente ao envelhecimento do organismo. Efetivamente, os cabelos brancos têm origem numa diminuição da melanina, a substância responsável pela cor do cabelo, que se produz em consequência do abrandamento de muitas das funções do organismo e que é especialmente evidente no cabelo durante a menopausa.

Este é o motivo pelo qual a tendência tem sido desde sempre pintar os cabelos brancos, dado que se consideravam um sinal inequívoco de envelhecimento. A isto há que acrescentar que o aparecimento destes cabelos sem cor também tem estado rodeado por falsos mitos e crenças (“se arrancar uma branca, aparecem-lhe sete”, “as brancas não caem”…) O fenómeno “granny” não só veio alterar as coisas como também tornou as brancas as autênticas protagonistas do estilismo capilar.

A tendência cavou tão fundo que não só as famosas com grisalhos naturais tais como Judie Dench ou Jamie Lee Curtis se tornaram ícones deste look, como também as “brancas fabricadas” triunfam entre as mulheres mais jovens. Isto consegue-se através de um processo de descoloração do tom natural até obter um fundo claro e, depois, aplicar uma coloração cinzenta (matizada com algum tom pastel, nas pontas, por exemplo). Lady Gaga e Kelly Osborne são dois exemplos deste cabelo grisalho “prefabricado”.

No caso das brancas naturais, embora o esquecer-se da tirania da coloração represente uma libertação, é preciso seguir uma série de normas para este cabelo se mostrar sadio e se tirar todo o partido deste look. Portanto, é fundamental um bom corte, bem como garantir uma boa hidratação (o cabelo branco costuma ser mais seco do que o pigmentado). E, sobretudo, combater o inimigo número um deste cabelo, a tendência para ficar amarelo, em consequência do efeito que têm sobre este tipo de cabelo fatores ambientais tais como o fumo do tabaco e a poluição. Isto consegue-se aplicando champôs com pigmentos cinzentos ou prateados e produtos que contenham ingredientes (coenzimas, aminoácidos) com efeito antienvelhecimento.

Marcado com →  
Compartilhado →