Comparação da bioestimulação capilar com fatores de crescimento face à administração de um fármaco que atua sobre a testosterona

A mesoterapia é uma boa via de administração de fármacos, que pode ser utilizada no tratamento de diferentes patologias, entre as quais a alopécia androgenética.

Consiste na administração de fármacos através de várias injeções superficiais. É um processo que se realiza em consulta, sem necessidade de anestesia, e que costuma ser bem tolerado.

A alopécia androgenética é um problema muito frequente que afeta cerca de 70% dos homens e 40% das mulheres, com importantes consequências psicológicas, para as pessoas que padecem da mesma, podendo provocar falta de autoestima, diminuição do desejo sexual, depressão e até neuroticismo.

Estudo da Svenson com mesoterapia

A Svenson realizou um estudo prospetivo, sem dupla ocultação e com aleatorização simples, para o qual selecionou um total de 30 pacientes de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 18 e os 85 anos, e com alopécia androgenética nos graus I a IV na escala de Norwood-Hamilton e I a III na escala de Ludwig. O protocolo de tratamento constou de 3 sessões de mesoterapia (fármaco para a alopécia ou autotransfusão enriquecida do paciente), com uma frequência de aplicação mensal.

A autotransfusão consiste num pequeno volume de componentes sanguíneos do próprio paciente, obtido através de uma extração, e após um processamento que separa os diferentes componentes sanguíneos por centrifugação.

Os fatores de crescimento favorecem o couro cabeludo

No campo da medicina estética, esta técnica tem sido utilizada principalmente devido ao seu papel na bioestimulação do fibroblasto cutâneo e como biopotenciador dos tratamentos de preenchimento adiposo. A sua utilidade no tratamento da alopécia baseia-se na presença de fatores de crescimento, principalmente:

  • PDFG (fator de crescimento derivado das Plaquetas);
  • TGF (fator de crescimento transformante);
  • VEGF (fator de crescimento vascular endotelial).

Estes fatores têm um papel importante na angiogénese (formação de vasos sanguíneos), e favorecem a cura e o crescimento de estruturas do tecido.

O fármaco utilizado é conhecido no tratamento de patologias da próstata e, como outros tratamentos para combater a alopécia, inibe os responsáveis pela conversão da testosterona em di-hidrotestosterona, envolvida no processo da alopécia androgenética.

Relativamente ao nosso estudo, a avaliação dos resultados foi efetuada através da utilização de imagens com microcâmara e da realização de um protocolo de fotografias digitais. Obteve-se uma avaliação subjetiva das mesmas por parte de 3 observadores externos, classificando a evolução como positiva, neutra ou negativa, para além da avaliação subjetiva do paciente.

A bioestimulação capilar por mesoterapia foi mais eficaz do que a mesoterapia com o fármaco

Os pacientes tratados por bioestimulação capilar mediante mesoterapia apresentaram todos melhorias, de acordo com as avaliações de observadores externos e as dos próprios pacientes, independentemente do grau de alopécia e da idade.

Esta evidência é coerente com os estudos de Alves e Grimalt, Gentile e cols., Cervelli e cols., e Gkini e cols., tanto na eficácia em ambos os sexos e em todos os graus de alopécia e idade, como na frequência das sessões, que os autores anteriores estabelecem uma vez por mês ou a cada três semanas.

Já nos pacientes tratados por mesoterapia com o fármaco, só três casos apresentaram melhoria clínica e subjetiva do paciente.

A causa da ausência de resposta nos restantes pacientes podemos tentar encontrá-la com a ajuda dos poucos estudos clínicos realizados. Nestes estudos, o número de sessões é muito maior e com uma frequência de aplicação inicialmente semanal, que depois vai aumentando ao longo do tempo, como ocorre nas investigações de Moftah e cols., Abdallah e cols., e Sobhy.

Entre os efeitos secundários da aplicação da mesoterapia destacaram-se a dor na punção e o prurido (comichão). No caso do fármaco, apareceu também um caso de cefaleia leve.

No estudo realizado pela Svenson, a bioestimulação capilar por mesoterapia foi mais eficaz do que a mesoterapia com o fármaco, aplicados com a mesma frequência.

Compartilhado →