A procura de novas soluções e tratamentos dirigidos para a prevenção e a abordagem da queda do cabelo levou os especialistas a ponderar o potencial de tecnologias amplamente usadas noutros campos. É o caso das diversas variedades da terapia laser, também conhecida pela sigla inglesa LLLT.

LLLT. Luzes LED ou laser?

Tanto o laser como o HI-LED são eficazes do ponto de vista terapêutico

O acrónimo “LLLT”, antigamente associado a “Low Level Laser Therapy”, atualmente modificou o seu significado, correspondendo hoje em dia a “Low Level Light Therapy”. Esta mudança é consequência do avanço no conhecimento dos efeitos dos diversos tipos de luz sobre o organismo, tendo-se demonstrado que ambas as luzes são eficazes do ponto de vista terapêutico.

Há muita falta de informação sobre a diferença entre uma luz LED (cujo único objetivo é a iluminação) e as luzes terapêuticas HI-LED de elevada emissão ou potência. Esta circunstância é compreensível por se tratar de uma área em pleno desenvolvimento por parte da bioengenharia, a qual proporciona cada vez mais ferramentas tanto para o diagnóstico como para o tratamento.
O capacete Medical Hair Cap da Svenson é um dispositivo que contém HI-LED em forma de boné e que inclui 246 díodos LED de elevada emissão ou elevada potência lumínica (ao contrário dos LED normais como os que se usam na iluminação). O HI-LED de elevada potência tem a propriedade de desfocar a emissão da luz, conseguindo assim uma melhor distribuição da energia (a luz dispersa-se de forma homogénea por toda a zona a tratar), um maior ângulo de difusão e, portanto, uma maior eficácia sobre o couro cabeludo. O ângulo de difusão destes díodos é de 140º em vez dos 16º de abertura do laser, cobrindo assim muito melhor a área a tratar.

A principal diferença entre o laser e os LED está em que a energia lumínica do laser é uma luz coerente (todos os fotões estão alinhados ordenadamente), ou seja, emite-se de forma linear (em linha reta com quase nenhuma dissipação nem abertura). No caso dos HI-LED, com o mesmo nível de intensidade, emite-se um feixe de luz desfocado, o que proporciona um maior ângulo de difusão.

Outras características essenciais da luz, tais como a frequência de cor (espetro) e a energia emitida, são as mesmas tanto para o laser como para o LED.

Estudos sobre a LLLT no cabelo

Estudos sobre LLLT indicam que esta terapia poderá favorecer o crescimento do cabelo em homens e mulheres.

Nos anos 90 e no início de 2000, pensava-se que a energia coerente do laser deveria ter uma maior eficácia e força de ativação nos fotorrecetores das células. Nessa altura não existiam LED com tanta potência de emissão de luz e, portanto, pensava-se que não tinham tanta eficácia.

Atualmente, isto mudou e demonstrou-se que, praticamente, não existem diferenças entre a energia coerente e a desfocada. O fator mais importante para o tratamento previsto é que exista uma energia que possa ser absorvida na frequência adequada (630-665 nm), com o nível de potência necessário (visto que um excesso de energia satura as células e não age corretamente) e uma frequência de pulsação adequada.

Nos últimos tempos, foram levados a cabo diversos estudos com o objetivo de avaliar a LLLT (terapia de luz de baixo nível ou intensidade) e verificar os possíveis efeitos positivos sobre o funcionamento dos folículos pilosos quando se aplica no couro cabeludo tanto laser como HI-LED.

Os resultados dos mesmos indicam que esta terapia poderá favorecer o crescimento do cabelo em homens e mulheres, sendo a principal hipótese sobre a qual se apoia este dado a de que esta luz estimulará as células epidérmicas «ativando» a fase de crescimento ou anágena. Investigações prévias realizadas em ratos submetidos a alopecia induzida por quimioterapia e também a alopecia areata demonstraram a sua eficácia relativamente ao crescimento de novo cabelo.

Na mesma linha, a preocupação pelo avanço do conhecimento da eficácia da LLLT levou os cientistas a realizar estudos de elevada evidência científica. Realizou-se uma meta-análise, estudos multicêntricos, aleatórios e com dupla ocultação, que evidenciaram que o uso de dispositivos de LLLT favorece a estimulação do crescimento capilar na alopecia de padrão masculino, na de padrão feminino, na areata e na induzida por quimioterapia, além de aumentar de forma significativa a densidade do cabelo resultante. Por isso, estas aproximações científicas concluem que este tipo de terapia que é aplicada por dispositivos aprovados pela FDA norte-americana, apresenta-se como uma opção eficaz para o tratamento da queda do cabelo tanto em homens como mulheres.

Estas são as publicações médicas mais relevantes a este respeito:

  • Eficácia e segurança da LLLT no cabelo
    «Os nossos resultados sugerem que o tratamento a laser de baixo nível pode ser uma opção eficaz para tratar a queda do cabelo em homens e mulheres» (ver estudo).
  • Terapia de LLLT para a alopecia androgenética: em 24 semanas
    «Após 24 semanas de tratamento, o grupo TLBI mostrou uma densidade significativamente maior de cabelo do que o grupo de dispositivos de simulação. A média do diâmetro do cabelo melhorou do ponto de vista estatístico significativamente mais no grupo TLBI do que no grupo de dispositivo de simulação (ver estudo)».

Como é lógico numa técnica inovadora, os especialistas são da opinião que é necessário realizar ainda mais estudos para determinar os efeitos a longo prazo desta terapia no crescimento e na manutenção do cabelo, bem como para otimizar a modalidade de laser mais eficiente neste sentido. No entanto, produtos como o Medical Hair Cap de Svenson já oferecem a pessoa afetadas por este problema a possibilidade de usar este tratamento para deter a queda capilar com base em vantagens que já foram  comprovadas cientificamente.

O principal efeito que esta fonte de energia produz nesta zona é a ativação da circulação sanguínea, favorecendo a chegada mais rápida e eficaz do oxigénio e dos nutrientes à raiz dos folículos pilosos.

O Medical Hair Cap de Svenson pode ser usado em alternativa ou como método complementar a outras soluções antiqueda e, de entre as suas vantagens, destaca a comodidade de uso que proporciona ao paciente.

Marcado com →  
Compartilhado →