O verdadeiro problema do cabelo oleoso não está no cabelo em si, mas no couro cabeludo, e é aí onde devemos atuar. O couro cabeludo produz, entre outras substâncias, a gordura (sebo) que é necessária para o correto crescimento do cabelo. Mas, por diversas causas (predisposição genética, alterações hormonais, uma alimentação demasiado rica em alimentos gordos), esta produção pode ser maior que o habitual, dando origem a um cabelo oleoso, de aspeto opaco, sem vida, com pouco volume e com tendência para parecer sujo, mesmo quando lavado recentemente.

O gesto básico para tratar este tipo de cabelo é utilizar produtos especificamente formulado para combater o excesso de gordura, um critério que deve ser tido em consideração não só para escolher o champô mas também os restantes cosméticos capilares (condicionador, máscara, produtos de styling…). O motivo por que isto acontece é que, havendo produção excessiva de gordura, se desencadeia uma espécie de círculo vicioso: quando o couro cabeludo se lava com um produto inadequado, podem-se eliminar, juntamente com o excesso de gordura, outros óleos necessários para o correto funcionamento capilar. Como reação a isso, o organismo produz ainda mais sebo para substituir os óleos naturais perdidos e daí a necessidade de se utilizarem fórmulas que incluam ingredientes equilibrantes.


Para além do uso de produtos cosméticos específicos, é importante aplicá-los de forma adequada. No caso dos champôs para cabelos oleosos, (e também de quaisquer outros champôs que se alternem com estes), é fundamental passar bem o cabelo por água durante, no mínimo, 30 segundos (os restos dos produtos são os principais inimigos do cabelo oleoso). Também devemos evitar a água demasiado quente, que pode exacerbar a produção de gordura, sendo muito conveniente terminar o enxaguamento com água fria.

No caso do condicionador, mesmo que este seja específico para cabelos gordurosos, só deve ser aplicado no comprimento e nas pontas, evitando-se, na medida do possível, a raiz. Os produtos de styling devem ser usados com moderação e numa quantidade mínima, já que todos têm tendência para engordurar o cabelo. É importante eliminar qualquer resto ou excesso, escovando o cabelo antes de o lavar, pois como os ingredientes destes cosméticos aderem com muita facilidade às fibras capilares, nem sempre é fácil “soltá-los” apenas com o champô.

Também recomendamos que, sempre que possível, seque o cabelo ao ar livre e que não abuse dos alisadores nem do secador, técnicas em que as temperaturas elevadas podem aumentar a produção sebácea. Deve igualmente evitar tocar continuamente no cabelo; esse é um gesto que muitas pessoas fazem e que contribui para o engordurar. E vigie a dieta: o tipo de alimentação tem uma relação direta no estado do cabelo e por isso é importante assegurar-se de que ingere a quantidade adequada de nutrientes, tais como biotina, ácidos gordos ómega 3 e vitamina A, essenciais para o correto funcionamento do couro cabeludo.

Marcado com →  
Compartilhado →