Quando será que vou começar a perder o cabelo? Será que posso fazer alguma coisa para evitar ser jovem e careca? Ter entradas no cabelo significa que daqui a pouco tempo não vou ter nem um cabelo na cabeça? Estas são algumas das perguntas que a maioria dos homens se fazem a si próprios, sobretudo aqueles que têm claros antecedentes familiares de alopecia. É verdade que a perda de cabelo nos homens está muito relacionada com a genética, mas isso não significa que o facto de ter um pai, um avô ou um tio careca queira dizer que vai sofrer exatamente o mesmo ritmo de perda de cabelo ou que vá ficar careca,de um dia para o outro,ainda jovem.

Há outros fatores que também influenciam a alopecia masculina, como podem ser o stress, a ingestão de certos medicamentos ou os efeitos de alguns hábitos, tais como o tabaco. Tal como as investigações realizadas demonstram, as hormonas masculinas também desempenham um papel importante no aparecimento da alopecia.

Quanto à altura em que a queda do cabelo começa a ser evidente, essa depende de cada homem e das suas circunstâncias concretas, mas de forma indicativa, e de acordo com os dados da American Hair Loss Association, aos 35 anos dois terços dos homens sofrem algum tipo de perda de cabelo, e, aos 50, 85 por cento tem um cabelo significativamente mais fino e uma cabeça em maior ou menor medida despovoada.


A maior parte das alopecias que começam a partir dos 20 anos têm uma grande componente hereditária e o seu sinal de identidade mais característico são as entradas. Neste sentido, nos últimos tempos, os especialistas estão a observar um aumento significativo dos casos de alopecia prematura entre a população masculina mais jovem, principalmente relacionado com os hábitos característicos da juventude atual e que em muitos casos se associam a uma dieta desequilibrada e pobre em nutrientes que são necessários para o correto funcionamento do organismo em geral e do ciclo capilar em particular.

O que é que se pode fazer para travar e, na medida do possível, desacelerar a perda de cabelo? Os peritos recomendam começar a incluir produtos anti-queda nos hábitos cosméticos diários, quando começam a aparecer os primeiros sintomas de queda do cabelo, especialmente se estes se verificarem de forma brusca. Também é importante colocar-se nas mãos de um especialista que determine de que tipo de alopecia se trata e que indique qual o tratamento mais aconselhável para abordar o problema em cada um dos casos.

Outra alternativa para determinar as possibilidades reais para ficar careca é submeter-se a um teste genético capilar que, através de uma amostra de ADN (obtida a partir da mucosa oral), permite detetar precocemente que pessoas têm uma predisposição para desenvolver a calvície comum.

Compartilhado →